Landing pages: aprenda a utilizá-las para vender mais

Elas são de extrema importância em uma estratégia de marketing digital e podem aumentar muito a sua taxa de conversão

O marketing digital e suas estratégias são recheados de termos em inglês. Para os professores digitais, que irão se aventurar no e-learning (viu só?), é preciso se acostumar com isso e deixar de lado a visão de que são palavras sofisticadas ou complexas demais para estudar a respeito.

Grande parte do que estudamos e aplicamos aqui surgiu lá fora e, por algum motivo, a maioria dos termos se manteve no idioma original. Estamos falando isso só para você não virar o olho com o nome de mais uma estratégia que vamos abordar aqui: landing pages.

Se você está estudando formas eficientes de vender o seu curso online, provavelmente já se deparou com esse nome.

Afinal, essa é uma das melhores formas de capturar leads e fazê-los andar através do funil de vendas.

Mas se você ainda não viu nada a respeito, não se preocupe. Depois de conferir essa matéria e praticar um pouquinho, você estará pronto para incorporar uma nova e eficiente tática em suas campanhas.

O que é uma landing page?

Para entendermos melhor e virarmos o jogo para o nosso lado, vamos trazer esse termo para o português: em uma tradução livre, landing page seria algo como página de aterrissagem.

Páginas desse tipo levam esse nome por serem justamente o local onde os usuários irão “aterrissar” após terem clicado em um anúncio, link ou feito outra ação.

Você mesmo já deve ter clicado e se cadastrado em inúmeras landing pages sem nem sequer perceber.

Já viu aqueles anúncios no seu Facebook ou Instagram para baixar um e-book grátis que fala sobre como fazer alguma coisa melhor?

Ao clicar nesses links, você é redirecionado para uma página com um breve formulário, que geralmente pede para você preencher algumas informações básicas, como seu nome, sexo, idade, profissão e e-mail.

Depois de fazer isso, pronto! Você está liberado para baixar o conteúdo “gratuito” daquela landing page.

Gratuito entre aspas, porque, na verdade, o que aconteceu ali foi uma troca livre, assim como aconteceria caso você estivesse pagando com dinheiro.

Nesse caso, a diferença é que as suas informações foram a moeda de troca.

Em um primeiro momento, pode parecer que você “levou a melhor”, mas aquelas informações poderão ser usadas estrategicamente para que, em um futuro próximo, você seja reimpactado com um anúncio que finalmente faça você comprar o principal produto ou serviço que aquela empresa oferece – ou, resumindo, para que você seja convertido.

Caso você ainda não esteja familiarizado, utilizamos a palavra “conversão” quando nos referimos a um usuário que passou pela última etapa do funil de vendas.

Mas, veja bem, nem todo redirecionamento que sucede uma ação do usuário necessariamente o levará para uma landing page. Por outro lado, uma landing sempre virá depois de uma ação.

Ainda que esse seja o objetivo primário dela, ela também não irá obrigatoriamente coletar leads com o objetivo de uma venda futura.

Ela pode ser usada de acordo com a sua necessidade e estratégia naquele momento, como por exemplo, criar uma lista de e-mails para que você possa segmentar os conteúdos de seus e-mails marketing de acordo com cada público. O que nos leva ao nosso próximo tópico.

Quando e como usar landing pages?

As landing pages funcionam na premissa de você oferecer algo que tenha valor para o usuário, como um e-book, um minicurso ou planilhas, em troca de algumas informações que serão úteis para você trabalhar o seu remarketing.

Isso as torna muito eficientes na hora de aumentar a sua taxa de conversão, já que você mantém um contato maior e por mais tempo com o usuário, além de alimentá-lo com o conteúdo que procura.

Mas isso não significa que elas possam ser usadas exaustivamente em suas campanhas.

Afinal, a captação e nutrição dos seus leads também gerará um custo para você, que é a criação de conteúdo de valor para o usuário.

Lembre-se: o usuário precisa acreditar que o seu conteúdo é valioso o suficiente para que ele queira trocá-lo pelas suas informações.

Logo, você precisará investir tempo, estudo, trabalho e até mesmo dinheiro na produção dos seus conteúdos, o que fará com que você entregue um material de qualidade, mas com uma oferta menor.

Ao mesmo tempo, dependendo da sua estratégia, é possível manter campanhas que utilizam landing pages de forma “vitalícia”, já que o tipo de conteúdo para essa finalidade geralmente tem uma data de validade bem grande.

Você pode utilizar delas sempre que quiser criar e segmentar públicos, nutrir seus leads com novos conteúdos, avançar um usuário em seu funil de vendas, oferecer uma pequena prévia de um produto ou serviço, aumentar suas taxas de conversão e muitos outros objetivos.

A nutrição de leads implica em criar uma base de usuários que têm interesse em seus assuntos e produzir regularmente novos conteúdos de valor – que possam ser úteis e sanem os problemas daquela pessoa – com o intuito de criar e manter um relacionamento, aumentar sua autoridade e converter seus leads.

Por onde começar

Existem muitos formatos de landing pages, sejam elas interativas, animadas, estáticas, com questionários mais complexos, etc.

Mas a verdade é que não podemos dizer qual tipo de LP se adequará mais a você, porque, assim como muitos outros fatores do marketing digital, isso depende.

O ideal é que você comece testando modelos pré-formatados, que até mesmo já criam e segmentam listas de e-mails para você, como é o caso do MailChimp, que permite você utilizá-lo de forma gratuita com até 2 mil contatos.

Lá você pode criar, gerenciar e automatizar suas campanhas de e-mail marketing, entre outras funcionalidades.

Além do MailChimp, existem outras diversas plataformas de landing page para quem não quer programar uma do zero, como é o caso do famoso InstaPage.

A facilidade e liberdade de criação dessa ferramenta a deixou bem popular, e pode ser uma excelente opção para quem está começando.

Você pode conferir um pouco mais sobre ela clicando aqui.

Agora, se você quiser unificar suas campanhas, aulas e outras ferramentas em um só lugar, você também pode utilizar o gerador de landing pages da Sapium!

Aqui mesmo, na nossa plataforma, você pode criar e gerenciar suas campanhas de e-mail marketing e landing pages. E o melhor de tudo: você não paga nada.

Então, que tal começar a experimentar esse recurso? Escreva aqui embaixo nos comentários como você planeja utilizar a sua primeira landing page!

Lembrando que respondemos dúvidas ao vivo todas as terças, às 21h, em nossas lives no Instagram.

sapiumblog

Deixe uma resposta