Conheça algumas dicas para começar a produzir conteúdo para área jurídica

Atualmente, diversas áreas, como o entretenimento, saúde, finanças e beleza, estão nas listas de mais buscadas na internet. E a área jurídica também vem sentindo impacto no ambiente digital e muitas empresas do âmbito estão migrando para as redes sociais, pois além de divulgar seu trabalho, o propósito é conectar pessoas e transmitir informação. Sendo assim, uma potencial de conteúdo jurídico, pode marcar presença nas redes sociais e compartilhar o seu conhecimento para as pessoas interessadas.

Ao trabalhar com as mídias digitais, é imprescindível conhecer e descobrir quem é o seu público. E, no universo jurídico, não é diferente. Para isso, é preciso atingir desde o universitário ao especialista,  ter uma boa comunicação diante dos temas, nível de conhecimento e conteúdo que possa, cada vez mais, reter e conquistar mais seguidores. 

Sendo assim, confira algumas dicas para produção de conteúdo na área jurídica.

Saiba como criar conteúdo jurídico, como produzir conteúdo jurídico e conteúdo para advogados . | Unsplash.

O que é conteúdo jurídico?

Antes de nos aprofundarmos no conteúdo jurídico, é importante salientar o Código de Ética e Disciplina estabelecido pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Ou seja, se as publicações da sua página não apresentarem uma determinada relevância, resumindo a anúncios de preços e promoções de produtos e serviços, poderá não se adequar a tais diretrizes e receber punições por parte do Órgão Nacional.    

O conteúdo jurídico, reflete o quão o comportamento do consumidor mudou nos últimos tempos, principalmente com o advento da internet e mídias sociais. Por isso, o relacionamento business to business, ou business to customer, vem se popularizando nas principais plataformas.

A técnica expande o alcance do escritório e permite entregar valor aos negócios. Desse modo, quanto mais informações você souber sobre o seu público-alvo, mais fácil vai ser definir a estratégia ideal para alcançá-lo. 

Comece analisando as informações dos seus clientes atuais e busque por padrões, por exemplo: Qual o tipo de emprego eles possuem? Quais atividades eles fazem depois do trabalho e aos fins de semana? Qual canal o seu cliente gosta mais de se comunicar? Qual o estado civil deles?  Quantos e de qual idade? Como eles consomem notícias e informações? Responder essas perguntas vai ajudar você a traçar o perfil das pessoas mais propensas a fechar negócio com o seu escritório. 

Além disso, esses dados vão ser muito úteis para escolher como, onde e quando aplicar o marketing jurídico.

Dicas para começar a produzir conteúdo jurídico de qualidade

Confira, a seguir, algumas dicas:

Crie uma conta comercial:

Além de dar credibilidade ao seu trabalho, ajuda a prospectar novos clientes de acordo com os temas e áreas de atuação, visto que o campo jurídico abrange os departamentos previdenciários, trabalhista, criminalista, entre outros. Se for especialista em uma área específica, crie um conteúdo com foco nessas vertentes.

Promova seu escritório:

O marketing boca a boca ainda é muito comum, entretanto, criar um planejamento estratégico e de engajamento do perfil, contribui para um maior alcance do escritório e permite entregar valor aos possíveis clientes, antes mesmo de fechar negócio.

Contato direto com pessoas e histórias:

Nas redes sociais, o público busca relações transparentes e verdadeiras, desde blogs a contas de grandes empresas, o contato direto promove a fidelização da sua marca e admiradores do seu trabalho. E o seu trabalho pode ser contado por meio de metodologias de storytelling – desenvolvendo elementos da jornada de atendimento, dúvidas frequentes e, até mesmo, estudos de casos para exemplificar ao seu público como o seu escritório resolveu o problema apresentado. 

Um bom exemplo de tema da atualidade é a LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados – no Brasil e dicas voltadas à Segurança da Informação e como se proteger na internet.

Seja constante:

Para atrair cada vez mais público, constância é o nome que mais aparece, quando se fala em engajamento. O fator relevância também é muito importante para que o seu marketing jurídico de conteúdo traga resultados. Por isso, use o seu conhecimento para educar seu cliente sobre o seu nicho de mercado.

Quais os tipos de conteúdo jurídico?

Qualquer forma de comunicação, que se encaixe no conceito do primeiro parágrafo, pode ser considerada um conteúdo jurídico. 

Apesar da linguagem jurídica ser frequente aos colaboradores do meio, boa parte do público não possui um pensamento técnico para tentar desvencilhar um caso ou uma lei (código de defesa do consumidor, por exemplo). Portanto, para se diferenciar da concorrência, é fundamental investir em conteúdo de qualidade e abordar assuntos com profundidade. É claro que o cliente não é jurista e, por isso, precisa que a linguagem técnica seja traduzida. 

Para produzir um conteúdo jurídico de qualidade, é preciso definir os objetivos que quer alcançar com a estratégia. Sendo assim, confira algumas dicas que poderão contribuir para uma relação mais profissional e direta com o seu público:

  • Responda comentários e mensagens privadas. Lembre-se: marketing jurídico é relacionamento;
  • Produza conteúdos específicos para cada rede social;
  • Faça estudos de casos para exemplificar ao seu público como o seu escritório resolveu o problema apresentado;
  • Descubra fóruns, comunidades e demais formas de divulgar o seu trabalho na mídia.

Sendo assim, confira, no próximo tópico, mais dicas do que postar nas redes sociais, para produzir conteúdo jurídico.

O que postar no Instagram jurídico?

Saiba o que postar na rede social:

Textos jurídicos:

O advogado deve produzir textos que tenham ligação com sua área de atuação e com assuntos relevantes no mercado. Seja formal, mas evite termos técnicos. Lembre-se da comunicação próxima entre clientes.

Vídeos jurídicos:

Os vídeos podem ser publicados no YouTube, Facebook e demais. Contudo, atenção aos vídeos no Instagram, pois demanda textos mais curtos, mas determinante para manter credibilidade, segurança e engajamento do conteúdo.

Podcast:

Os advogados dividem seus conhecimentos em áudios e em diferentes formatos, podendo ser tipo uma aula, um bate papo entre colegas ou em formato de perguntas e respostas. Além de divulgar trabalhos de demais profissionais ou escritórios disponíveis no mercado.

Como ganhar dinheiro com conteúdo jurídico?

Para monetizar as redes sociais, é importante conhecer os princípios da metodologia das mídias digitais. Técnicas de SEO (Search Engine Optimization), CTA (Call to Action, facilitam e promovem maiores alcances à página, site, Facebook, Instagram, YouTube, etc.

Para os perfis que produzem conteúdo relevante e, além disso, possuem um grande número de seguidores que interagem de forma constante, vale a pena trabalhar com o modelo de marketing de influência.

Conheça os cursos de direito da Sapium?

A Sapium é uma comunidade de e-learning e networking, que é totalmente integrada a um ambiente de estudo interativo e infraestrutura completa para o aluno criar seu negócio digital e expandi-lo até o caminho da sua ambição. 

A plataforma de cursos online tradicional disponibiliza conteúdo, mas a experiência de estudo do aluno é solitária, mas a Sapium acredita que, para promover uma experiência de aprendizado comparável com o presencial, é necessário oferecer ao aluno uma interação humana, com colegas e professores. Por isso, a Sapium pode oferecer a melhor experiência de aprendizado para os seus alunos!

Para saber mais sobre conteúdo jurídico, acesse o site da Sapium.

sapiumblog

Deixe uma resposta