Estude e se divirta: como estudar nas férias

Para quem não quer ficar um longo período sem estudar, as férias em família podem dar a sensação de que se está perdendo tempo; saiba como conciliar isso

A rotina de um estudante não é fácil. Por mais que algumas pessoas negligenciem isso com o famoso “como assim está cansado, se você só estuda?”, são poucos os que conseguem se dedicar integralmente a colocar a cara nos livros.

Seja para passar em um vestibular, concurso ou qualquer outra área que demande um teste de aprovação, é muito importante manter um planejamento de estudos por um longo período antes do dia da prova.

Você já deve ter ouvido falar das pessoas que estudam 3, 4 ou até 5 anos para passar naquilo que tanto desejam. É por isso que, dificilmente, uma rotina de estudos é linear, com começo, meio e fim.

Não vale a pena olhar para os estudos como uma corrida de cem metros, mas sim algo mais similar a uma maratona.

E como essa rotina pode ir longe, é inevitável que você passe por períodos em que se torne um pouco mais difícil estudar, mesmo que ainda seja preciso, como nas férias, por exemplo.

Mas, com um bom planejamento e algumas dicas que vamos abordar aqui, fica muito mais fácil conciliar um período de descanso – que também é muito importante – com os estudos, para que você extraia o máximo do seu potencial.

Então, continue acompanhando abaixo:

Faça um roteiro

Não importa se você vai passar as férias viajando ou em casa, montar um roteiro de como serão esses dias de descanso é essencial para não perder a mão enquanto não volta a sua rotina normal.

Veja bem, se você vai viajar, o ideal seria planejar como serão todos os seus dias, da hora que você acordar até a que for dormir.

Dessa forma, você consegue saber exatamente quanto tempo poderá ficar fora para curtir as merecidas férias e quanto poderá dedicar aos estudos – o que também já ajudará no seu planejamento pós-férias, caso você precise colocar algo em dia ou até mesmo esteja adiantado.

E sejamos honestos, você não precisa fazer nada que seja mirabolante, descrevendo passo a passo, pensando que se você sair só um pouquinho do roteiro terá estragado tudo.

Pode ser algo muito simples, apenas detalhando o que você fará de um horário até o outro.

Veja um exemplo:

Das 9h às 12h Visitar a praia
Das 13 às 17h Conhecer pontos turísticos
Das 19h às 22h Estudar

Ter esses horários estabelecidos fará com que seja muito mais difícil você se deixar levar pelo “calor do momento” e acabar desregulando todo seu cronograma de estudos.

Conte com conteúdo portátil

Essa é especialmente válida para aqueles que irão viajar. A gente sabe que já durante a rotina do dia a dia fica difícil ter que levar materiais como apostilas, livros e cadernos para lá e para cá. Imagine, então, quando você tem que fazer isso durante uma viagem.

Por isso, é essencial contar com conteúdo que seja portátil e de fácil acesso.

Materiais como e-books, vídeo-aulas e plataformas de estudo online podem facilitar bastante sua vida nesses momentos.

É muito válido você ter resumos impressos de alguns conteúdos, eles também têm uma certa praticidade.

Mas na hora de estudar um conteúdo inteiro, opte por algo que realmente funcionará e fará você não perder tanto tempo organizando centenas de páginas.

Não estude

Pois é. E essa talvez seja uma das dicas mais importantes aqui. A gente entende que é preciso muito trabalho duro para você chegar aonde quer, com a certeza de muitos sacrifícios e escolhas difíceis, mas também temos que reconhecer a hora de dar uma pausa.

Não tem nada de errado com isso e, na verdade, esse intervalo é muito benéfico para que você alcance seus objetivos.

Tirar umas férias ou alguns dias para nem pensar nos estudos e curtir o descanso de verdade é essencial para que você volte com tudo.

Na verdade, como você já deve ter ouvido falar, estudar demais não vai te fazer o próximo Einstein, mas pode te deixar com uma série de problemas – principalmente depressão.

O excesso de estudo também acaba prejudicando o seu ciclo social, tornando você uma pessoa mais isolada, frustrada e até mesmo com probabilidade de desenvolver distúrbios alimentares.

E se você se sente sozinho e mal com você mesmo, ficará ainda mais depressivo fazendo com que aquele aluno brilhante e dedicado nunca tenha despertado do seu potencial.

Portanto, é como dizem: a diferença entre remédio e veneno está na dose.

Saiba aproveitar seus momentos de descanso para que você não se autossabote, mandando todo aquele esforço e horas de cara nos livros por água abaixo. Gostou do conteúdo acima? Compartilhe com seus amigos que estão focados nos estudos. E se quiser ver mais textos como esse, clique aqui.

sapiumblog

Deixe uma resposta